Izidora não aceita despejo. Kadu: "Negociação justa aceitamos."
capture_decran_2015-12-02_a_17.02.07.png

Nosso amigo Frei Gilvander contatou-nos :

Dia 17/11/2015, cerca de 1500 pessoas das Ocupações-comunidades Rosa Leão, Esperança e Vitória, ocupações da Izidora, em Belo Horizonte e Santa Luzia, MG, levantaram de madrugada e marcharam cerca de 20 Km até a Cidade Administrativa, sede do Governo de Minas Gerais, em Belo Horizonte. O povo faltou ao emprego para defender suas casas e as comunidades em franco processo de consolidação. Nas Ocupações da Izidora já foram construídas cerca de 5.000 moradias de alvenaria. Levamos um documento escrito durante vários meses com o apoio imprescindível de professores universitários e de advogados do Coletivo Margarida Alves com mais uma Contraproposta que colocamos na Mesa de Negociação na esperança de que a Prefeitura de BH, o Governo de MG e a construtora Direcional se abram de fato para uma Negociação justa e ética. O povo já deixou claro mil vezes que despejos forçados são inaceitáveis e que se o governador de MG, Fernando Pimentel, perder a cabeça e autorizar milhares de policiais a tentarem despejar das Ocupações da Izidora estará autorizando um massacre de proporções inimagináveis e caos muito grande em BH e RMBH. O único caminho sensato, justo e ético é negociar, todos cedendo de todos os lados.
 

See video